domingo, 3 de novembro de 2013

A Culpa é das Estrelas

A Culpa É Das Estrelas

NÃO, A CULPA NÃO É DAS ESTRELAS!

“A culpa, meu caro Bruto, não é de nossas estrelas / Mas de nós mesmos, que consentimos em ser inferiores.” – Júlio César, de Shakespeare.

Com esse título, John Green quis deixar claro seu pensamento de que nem todos são responsáveis por seus sofrimentos, apenas tiveram azar.

Hazel Grace tem 16 anos e há 3 luta contra um câncer terminal que, apesar de encolhendo, não lhe dará mais que alguns anos de vida. Ela abandonou a escola há algum tempo e passa as tardes assistindo America’s Next Top Model, o que não quer dizer que ela seja totalmente infeliz.

Gus é lindo e tem sua própria cota de sofrimento, tendo perdido uma perna por conta do câncer. Ele é amigo de Isaac, um menino cego com quem Hazel dividia suspiros irônicos durantes as reuniões, e acaba se aproximando da menina. E é claro que daí nasce um relacionamento bastante real.

"Neste livro comovente o autor cria um enredo ficcional que, na verdade, se inspira em um evento mais que real. Uma estrela encantadora e irônica, dotada de forte personalidade e de sólida opinião passou por sua vida, deixou marcas profundas, legou exemplos memoráveis e se foi, veloz como um cometa, deixando após sua passagem desencanto, desilusão, tristeza e certa dose de fúria criadora.
Pode-se descrever assim a relação de Green com Esther Earl, vítima de um câncer que não lhe poupou a vida. Segundo as palavras do próprio autor, apesar de tudo que aprendeu com sua doença e conseqüente morte, o mundo seria hoje um lugar bem melhor se a garota ainda estivesse viva e ativa, produzindo seus vídeos e colorindo tudo a sua volta.

Seus contraditórios sentimentos em relação à partida de Esther, especialmente na fase inicial do luto, o levaram a escrever A Culpa é das Estrelas de uma forma febril e apaixonante. Embora sua passagem pela Terra tenha contribuído para que seus familiares criassem a instituição This Star Won‘t Go Out, uma organização não governamental destinada a amparar os familiares de crianças portadoras de câncer, Green confessa ter muitas saudades da adolescente, e ainda estar irritado com sua ausência.

Dois anos se passaram e o livro foi publicado, é um grande sucesso de público, mas o escritor insiste em afirmar que sua narrativa não se baseia em apenas uma história verdadeira, pois vários outros personagens reais também o motivaram a criar esta obra. Além disso, Hazel e Esther definitivamente são pessoas totalmente distintas. Assim o autor comprova que não retrata aqui a trajetória autêntica da jovem, a qual pertence somente a seus familiares." - Ana Lucia Santana.

4 comentários:

  1. Esse livro deve ser perfeito,n é pq a culpa é das estrelas,pelo contrário quem luta é quem brilha...
    Filosofei*-*

    ResponderExcluir
  2. O Augustus Waters Morre kkkkkkkkkkkkkk

    ResponderExcluir