quarta-feira, 7 de dezembro de 2016

Oi, eu voltei (por tempo indeterminado)

OI, TODO MUNDO! Eu sei que vocês sentiram minha falta, como não sentir? A verdade é que eu estou de volta, só não sei por quanto tempo. Estou de férias (não oficialmente rsrs), mas dedico meus dias às minhas séries que estavam mais atrasadas que minhas matérias (rsrs). Eu mudei de escola esse ano, conheci pessoas novas, comecei a namorar, tive que doar mais do meu tempo aos estudos, até com problemas de insônia e ansiedade fui obrigada a lidar, mas parece que tudo está bem agora e eu estou inteirinha e com tempo livre para postar (quase) o dia inteiro.

Enquanto eu estive fora, muitas coisas aconteceram no mundo (vou fazer uma postagem sobre isso, estilo retrospectiva, esperem) e eu nem pude falar sobre elas com vocês, por isso eu me desculpo e tentarei fazer com que em 2017 eu esteja presente.

Vou falar sobre como foi esse ano para mim, até aqui, ou melhor, como foi desde minha última postagem, em agosto de 2015.

Setembro de 2015 foi maravilhoso, eu fui para os EUA, conheci Nova York e Orlando, amei, queria voltar todo mês, mas não tenho dinheiro para isso, não. Em outubro, não teve nada marcante, já que eu não lembro, sei que teve o churrasco de aniversário da minha mãe, que eu sempre amo porque unir churrasco e família/amigos é só amor, porém fora isso, realmente não lembro de nada. Novembro eu fiquei de férias, me lembro que foi bem cedo e fiquei quase quatro meses de férias (saudades), não lembro de ter feito nada extraordinário, mas não sei, minha memória é realmente horrível. Em dezembro eu me formei no ensino fundamental achando que o pior já tinha passado; adeus, gente falsa e professor ruim, mas me enganei ruuuuude; fiz a prova da Etec e a melhor parte do mês chegou: o Natal, tempo de harmonia com a família e, logo depois, o ano novo. Aqui em casa, o ano já começa com a casa cheia. Moramos na praia, mas nem sempre foi assim, então os amigos de anos vêm nos visitar sempre, principalmente no verão, claro.

Janeiro foi basicamente praia e cama, mas fui visitar minha avózinha, que mora em MG; eu amo Minas Gerais, é um estado tão receptivo e educado, obrigada, Minas Gerais, por existir. Em fevereiro, eu só existi mesmo, não lembro de ter feito qualquer coisa. Agora março... eu não tenho nem palavras. Entrei na Etec, conheci pessoas de todos os tipos e com os mais diversos pensamentos e fiz amizades que pretendo levar para a vida. Em março, uma amiga fez 15 anos e teve uma festa (abrindo aqui o parênteses para dizer que adoro festas de 15 anos, gostaria que minhas amigas fizessem 15 anos todos os anos). Para a história não ficar sem sentido, preciso acrescentar que eu tinha um crush forte em um menino desde o 6º ano e eu comecei 2016 com o pensamento de que se ele não me quisesse, eu ia partir para outra. Nessa festinha, eu fui falar com ele e tal e a resposta foi "agora não dá". Meu orgulho nem se jogou da sacada, imagina. A surpresa foi que eu superei bem mais rápido do que pensei. Foi em março também que eu conheci meu namorado. Ele era estudante da Etec, de outra série, mas eu ficava observando e achava muito fofinho o jeito dele (vale lembrar que ele me ofereceu comida em um evento da escola, talvez esse tenha sido o fator X). No dia 28 de março, eu mandei uma cartinha para ele no correio elegante, com uma cantada horrível que, em minha defesa, uma amiga que escolheu. O desfecho da história é que conversamos bastante, nos demos bem e somos um casal. Em abril, eu fui para a Argentina, amei, o pessoal é engraçado, receptivo e meio nervoso também, mas uns amores; com essa viagem, eu faltei uma semana e tirei meu primeiro e único I desse ano.

Vou explicar o que é um I: na Etec, os alunos não recebem nota, recebem menções. Essas menções são MB (muito bom), B (bom), R (regular) e I (insatisfatório). A única menção considerada "vermelha" é I, ou seja, tirar só R o ano todo é garantia de que não repetirá, mas é feio tirar R, tem que estudar para merecer aquele MB bonito. Nessa semana que eu passei na Argentina, teve a prova de sociologia que, pelo que todo mundo falou, estava muito difícil (mais da metade da sala tirou I). Eu tentei remarcar a prova, mas não deu e eu acabei ficando com um I de média em sociologia no primeiro bimestre. Para compensar, fiquei com MB no segundo e no terceiro e ainda estou esperando para saber o que vai ser no quarto.

Voltando aos meus meses super empolgantes: em maio eu não lembro de nada, teve uma festa, churrasco, mas nada que mereça muito destaque. Junho e julho estavam em clima de Olimpíadas e aproveitaram para dar uma de Usain Bolt e correr. Eu tive "férias" de 15 dias em julho, prefiro nem lembrar. Para contrariar junho e julho, agosto passou em ritmo de tartaruga. Nunca vi um mês durar tanto, como pode? Totalmente sem feriado e com 31 dias, foi difícil vencer agosto, mas eu venci. Setembro eu acho muito amorzinho porque é o mês do meu aniversário, fiz 16 aninhos, agora sou uma cidadã politicamente ativa (não que isso tenha muito valor nos tempos atuais) e também comprei meu novo óculos. Eu amo óculos, não ligo de usar, mesmo que às vezes incomode. Eu amava meu óculos anterior, mas ele quebrou e eu fui obrigada a comprar outro, porque minha miopia não dá folga. Em outubro, teve o aniversário da minha mãezinha, foi muito legal, comi bastante. Novembro foi cansativo, com muitas provas e trabalhos que, graças a Deus, deram certo, E agora, ainda estamos apenas começando dezembro, portanto eu espero que seja um mês maravilhoso e de surpresas boas para mim e para todos vocês.

Não sei quando será a próxima postagem, mas fiquem ligadinhos.

Nenhum comentário:

Postar um comentário